Paula Parreira

repórter + esportes + música + Itumbiara + jornal + Goiânia + futebol + mostarda + dorminhoca + tênis + blog + Guilherme + família + óculos + café + fotos + Pateta + O Popular + marshmallow + amigos

quarta-feira, 29 de setembro de 2004

E se eu não precisasse trabalhar nunca mais? E se eu não tivesse olhos verdes? E se meu nome não fosse Paula? E se eu não tivesse amigos? E se meus pais morassem comigo? E se o Rubinho fosse o primeiro piloto? E se o curso de jornalismo não existisse? Ou melhor, e se não existisse a imprensa, o jornalismo, a mídia, etc? E se a direita se chamasse esquerda e a esquerda fosse a direita? E se o orkut acabar? Pronto, o orkut se foi, não existe mais, acabou... O que ia ser? E se eu não gostasse de Ouro Branco e nem de chiclete de canela? E se eu fosse você e você fosse eu? Vixe... E se o número de mortos fosse um milhão ou um bilhão ou um apenas?

domingo, 26 de setembro de 2004

Ai, estas musiquinhas...

"Eu, por você, sou capaz de mudar
Não ser durão, dirigir devagar"

"Se viver fosse viver sem você, que bom seria
Mas não dá mais pra viver sem você, nem mais um dia"

"Mentira se eu disser que não penso mais em você"

"E até o tempo passa arrastado
Só pra eu ficar do teu lado
...
E nessa novela eu não quero ser seu amigo"

"Serás o meu amor
Serás a minha paz"

"I, I'm so in love with you
Whatever you want to do
Is all right with me
Cause you make me feel so brand new
And I want to spend my life with you"

"Vou beijar-te agora
Não me leve a mal
Hoje é carnaval"

"Ah se tu soubesses como eu sou tão carinhoso
E muito muito que te quero
E como é sincero o meu amor
Eu sei que tu não fugirias mais de mim"

"O problema é que eu te amo
Não tenho dúvidas que com você daria certo
Juntos faríamos tantos planos
Com você o meu mundo ficaria completo
Eu vejo nossos filhos brincando
E depois cresceriam
E nos dariam os netos
...
O problema é que eu te amo
Não tenho dúvidas que eu queria estar mais perto
Juntos viveríamos por mil anos
Porque o nosso mundo estaria completo
Eu vejo nossos filhos brincando
Com seus filhos
E depois, nos trariam bisnetos"

E, na verdade, deveria odiar todas elas...

segunda-feira, 20 de setembro de 2004

Show de rock, fazenda, churrasco, banho de represa à noite, banho de represa de dia, tirolesa, muito truco, cerveja, música, comida boa, papagaio, joguinho da atenção, passeio de barquinho, boa companhia, sol... Só faltou beijo na boca. Também nem tudo é perfeito, né. Mas meu fim de semana chegou perto da perfeição, é verdade. Há tempos não passava um sábado-e-domingo tão bom.
Na sexta teve show dos Los Hermanos com os Paralamas e foi LINDO!! Encontrei muita gente e pulei pra caramba. O show dos Hermanos foi pequeno, mas o dos Paralamos foi bem longo. O melhor foi quando as duas bandas tocaram juntas. Começaram com o Vencedor, que o Hebert Vianna não sabia cantar. Morreu de vergonha porque o Camelo ficou insistindo para que ele cantasse... mas o cara não sabia. Daí vieram duas dos Paralamas cantadas por Camelo e Amarante. E o melhor: a primeira foi Romance Ideal, minha preferida. E foi lindo o Marcelo dizendo que ele estava realizando um sonho ao cantar Meu Erro ao lado do Hebert. Depois do show era pra ter uma festa lá, mas acabou cedo. Eu nem me importei, afinal estava morta de cansada e no outro dia tinha que acordar cedo. Mas a Gabilinha e a Lídia ficaram bravinhas. Animadas essas garotas!
Bem... no sábado acordei cedo e fiquei arrumando as coisas para ir para a fazenda do avô da Pollyanna perto de Morrinhos. Fui encontrar o povo na rádio e depois de muita enrolação pegamos a estrada. A viagem já foi tudo de bom... Quando chegamos lá então, foi muito melhor. Maria, Cunhado, Rafael, Mãe Rafaella, Polly, Bênia, Hebert e eu. Voltamos ontem à noite. Todo mundo acabado, vermelhinho de sol, cheio de tanto comer, animado para começar a semana e de alma lavada por ter tido um fim de semana tão bom...

domingo, 12 de setembro de 2004

Meu filme preferido, minha bossinha, meu tomate-cereja, gol em final de campeonato, meu James Taylor e meu Marvin Gaye e meu Jacob Dylan, meu livro de cabeceira (apesar de eu nem ter um), meus olhinhos verdes, a prova dos 100m livre das Olimpíadas, aquela música antiga (que dura pra sempre), minha companhia num dia de chuva, meu bichinho de pelúcia, a foto amarelada, meu pensamento ao acordar, aquele seriado da quarta-feira, o lugar mais lindo, a viagem perfeita, a pessoa tão aguardada (que, enfim, chegou), meu anel de brilhante, o drible do Garrincha e o gol do Batistuta, o salário no fim do mês, o melhor sorriso, o olhar tímido, minhas medalhas e a vista lá do alto. Tudo isso é você pra mim!

*********

Galega
Tento descrever
O que é estar com você
Princesa
Todos vão saber
Que eu estou muito bem... com você

(Isso daí fez parte de uma surpresa que esses dias eu recebi. Boa surpresa, mas que hoje não representa mais nada. Ainda bem! É do Jorge Ben)

*********

Cara, quando eu acho que nada mais pode acontecer de extraordinário no Diário, me surpreendo. Ontem eu estava fazendo matéria do jogo do Goiás, que enfrentava o Inter no Serra. Não fui no campo pra já ir adiantando a matéria, mas não teve computador pra mim lá na sala dos editores (onde fica a televisão). Tudo bem... Fiquei anotando tudo a mão pra depois sentar e escrever. Isso porque o Tião já tinha me perguntado se eu poderia entregar a matéria 15 minutos depois que o jogo acabasse. Eis que me surge o Tião dizendo que um irmão do seu Batista ligou no jornal pedindo pra ficar ligando pra ele e falando uns flashes do jogo do Goiás. Quando saísse gol era pra ligar pra ele e contar tudo que estivesse rolando. Vê se pode?!?! Não, eu fiquei passada... Pra não dizer furiosa... Daí eu fiz o exercício da respiração que a Camila me ensinou... Pelo menos o Deusmar (editor-executivo), num raro surto de sensatez, falou pra ignorar o cara...

Sábado acho que vou pra fazenda da Polly perto de Morrinhos. O Rafael me convenceu a ir. Acho que vai ser legal. Daí voltamos no domingo. E sexta tem o show dos Los Hermanos. Tô totalmente pobre, mas vou nos dois. Ontem falei com vovó e foi bom pra caramba. Saudade de Itumbs!!! A novela Dante ainda não acabou. Amanhã tem mais uma matéria com o cara...

terça-feira, 7 de setembro de 2004

Pleno feriadão e eu estou no jornal pra fazer matéria. Pretendo fazer uma matéria do Vila e ir embora, pra ficar com minha mãe uns últimos minutinhos antes de ela voltar para Itumbiara. Faz um tempinho que eu não escrevo aqui e até que aconteceu muita coisa. Pra começar, virei repórter do Dante e ainda não acabou. O pessoal quer mais uma matéria com o garoto pra segunda-feira e eu espero que seja a última. Minha mãe passou o fim de semana aqui em Goiânia, mas a gente só passou raiva. Tem um problema de água lá em casa. Tem hora que tem, tem hora que não tem. Meu dente sizo (como escreve sizo hein? Siso? Sizo?) tá nascendo e eu tô quase morrendo de dor. Nem tenho dormido direito. Tô precisando de dinheiro mais que tudo, mas acho que a gente recebe amanhã. Minha amiga Camila foi lá em casa. Assisti "Como perder um homem em de dias" duas vezes no fim de semana. Vi meus primos e meus tios, que não via há um tempinho. Conheci a nova nenê: a Julie, a basset filhote da minha tia, que é linda.