Paula Parreira

repórter + esportes + música + Itumbiara + jornal + Goiânia + futebol + mostarda + dorminhoca + tênis + blog + Guilherme + família + óculos + café + fotos + Pateta + O Popular + marshmallow + amigos

quarta-feira, 26 de setembro de 2007

Muito pouca gente deve saber, mas amanhã tem decisão para o Brasil na Copa do Mundo. Sim, Copa do Mundo, de futebol e tal. Apesar disso, a cidade não vai parar, ninguém vai ao bar assistir ao jogo, eu não vou trabalhar no horário (o que, no caso de uma Copa, como trabalho no Esporte do jornal, é algo estranho), a Globo não vai transmitir. É o Mundial Feminino e o Brasil faz a semifinal com a favorita seleção americana. Eu queria ver, mas não tenho tv fechada.

E olha que eu sempre tive implicância com meninas jogando futebol, achava tudo meio sem-graça. Mas hoje vi um pouco de Alemanha e Noruega e botei fé. E os gols da Daniela Alves e da Cristiane no outro jogo foram bonitos demais. Não tem como não gostar, porque o nível que o futebol feminino tem hoje é muito bom. Mas uma coisa com a qual eu sempre impliquei foi com os comentários maldosos. O comentarista hoje falou, em cinco minutos, um monte de imbecilidades, tipo que a hora que ele mais gosta do jogo das meninas é quando elas trocam a camisa. Cretinice!

***

Musiquinhas dos últimos dias, no repeat...

"Every little thing I do" - Forgotten Boys
"Favorite game" - Forgotten Boys
"President of what?" - Death Cab for Cutie

terça-feira, 25 de setembro de 2007

Estou na defensiva. É que ando tão chateada com as coisas que fico respondona. Sabe, aquelas coisas bem feias que criança faz. Eu tô fazendo também. E ando detestando as piadinhas. Aquelas bem bobas, normais pra fazer brincadeira, me irritam muito. E tem tanta coisa que eu queria escrever aqui, mas ando até sem vontade. Parece que não sou mais a mesma. Me conformar com as coisas não era normal, fazer muito pouco também não. Tem uma coisa nova, que me deixa mais feliz que sempre, e não tenho jeito de escrever aqui. Evito comparações e nem sempre é possível. Mas acho que pode ser diferente sim. Já é.

***

Show do Cachorro Grande! Pelo menos uma boa notícia. Ando me contentando com pouco.

terça-feira, 11 de setembro de 2007

Ai, ai! Vamos recapitular! Viagens, América Latina, História, Santos, família, rádio, jornalismo, política, China, samba-rock... Será que eu consigo?

quarta-feira, 5 de setembro de 2007

"Quer saber de uma coisa? O Vila Nova vai ser campeão desse negócio." Foi a frase temerária do Baianinho em relação à Série C. O Lessa ainda completou: "E, neste momento, o Vila acaba de ser eliminado. Acabaram as chances do Vila". E o pior é que ele tem razão. Essa é a fama de pé-frio do Baianinho na redação.

***

Uma notinha da Mônica Bergamo, a única colunista social que eu leio, de alguns dias atrás. E sempre, sempre tem algo de legal.

Se estivesse vivo, o ex-treinador João Saldanha (1917-1990) poderia ser convocado como testemunha do caso Richarlyson, em que um juiz afirma não haver homossexualismo no futebol na Copa de 1970. Em entrevista ao Roda Viva, em 1987, Saldanha brincou com o jogador Clodoaldo, do time de 70: "Você sabe que tinha gente ali que não era lá muito fera, né?". E contou que um "cobra do time" foi flagrado em "posição incômoda" com um cozinheiro da concentração.